Endometriose: Mitos e verdades sobre esta doença

Compartilhe o Post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

A endometriose é uma doença crónica que afeta cerca de 10% da população feminina brasileira, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e costuma ser mais frequente entre mulheres de 25 a 35 anos de idade.   

Esta doença consiste na presença de tecido endometrial fora do útero, que geralmente reveste a cavidade uterina, cresce no início do ciclo menstrual, e se transforma após a ovulação, permitindo a implantação de um possível embrião e descama durante a menstruação para voltar a crescer no ciclo seguinte.  

Saiba os sintomas da endometriose 

Costuma ter períodos intensos, dolorosos e de longa duração? Eles podem ser uma indicação de uma possível endometriose, assim como dores durante a relação sexual.  

Outros sintomas muito comuns são:  

  • Evacuações intestinais dolorosas e dores ao urinar 
  • Diarreia, prisão de ventre, náuseas ou outros problemas digestivos durante a menstruação 
  • Sangramento ou manchas entre os períodos 
  • Cistos endometriais 
  • Infertilidade 
  • Fadiga crônica 

Vamos separar a ficção da realidade? 

Mito 1: Períodos dolorosos são normais 

NÃO! A maioria das mulheres sentirá algum nível de cólicas e dores durante a menstruação., porém as mulheres com endometriose relatam dores extremas e debilitantes durante a menstruação, o que pode as impedir de realizar tarefas comuns do cotidiano.  

Mito 2: Sou muito jovem para ter endometriose  

Na verdade, embora a endometriose seja tipicamente diagnosticada em mulheres de 20 a 40 anos, ela pode chegar a afetar meninas a partir dos 11 anos – normalmente quando há a primeira menstruação. 

Mito 3: A histerectomia cura a endometriose  

Infelizmente, não há cura para a endometriose. As histerectomias podem ser usadas como uma opção de tratamento em último recurso para mulheres cujos sintomas não melhoraram após tratamentos como terapias hormonais ou procedimentos cirúrgicos menos invasivos. Em alguns casos, há chances de a dor da endometriose retornar mesmo após uma histerectomia.  

Mito 4: A gravidez cura a endometriose  

Algumas mulheres podem sentir uma diminuição dos sintomas durante a gravidez, mas como dito anteriormente, não há cura para a endometriose! 

Mito 5: A endometriose evita a gravidez 

A endometriose pode causar problemas de fertilidade. No entanto, com os tratamentos de fertilidade – que podem incluir cirurgia para remover cicatrizes pélvicas ou trompas de falópio bloqueadas – muitas mulheres com endometriose conseguem ter filhos. 

Mito 6: A endometriose é causada pelo uso de tampão ou atividade sexual 

Usar tampões e ser sexualmente ativo não causa endometriose. A causa exata da endometriose não é clara. 

 A pesquisa sugeriu a menstruação retrógrada – na qual o sangue menstrual flui de volta pelas trompas de falópio e deposita células endometriais na cavidade pélvica – como uma das possíveis causas.  

Outros caminhos de pesquisa sugerem que a endometriose pode estar ligada a um distúrbio do sistema imunológico ou a certos fatores genéticos herdados, uma vez que a doença tende a ocorrer em famílias. 

Para mais informações sobre tratamentos, conte com a Spaço Saúde para te auxiliar! 

Veja outros posts

Queda capilar: As principais causas

A queda capilar é uma ação que tira o sono de muitas pessoas. Nesse sentido, certas atitudes podem acelerar este processo e prejudicar seus fios.